A promessa a Israel

No Senhor será justificada toda a descendência de Israel e nEle se gloriará. Isaías 45:25

Abraão foi chamado a sair de uma família idólatra, sendo indicado por Deus para preservar a verdade em meio à predominante e crescente corrupção daquela era marcada pela idolatria. “Apareceu o Senhor a Abrão e disse-­lhe: Eu sou o Deus Todo-poderoso; anda em Minha presença e sê perfeito. E porei o Meu concerto entre Mim e ti e te multiplicarei grandissimamente” (Gn 17:1, 2). [...]

O Senhor comunicou Sua vontade a Abraão e deu-lhe um conhecimento distinto das exigências de Sua lei e da salvação que se realizaria por meio de Cristo. Alta honra aquela a que Abraão foi chamado, para ser o pai do povo que durante séculos foi guardião e preservador da verdade de Deus para o mundo, sim, daquele povo por meio do qual todas as nações da Terra seriam benditas no advento do Messias prometido. [...]


Deus conferiu honra e bênçãos especiais ao Seu servo fiel. Por meio de visões e de anjos que andavam e falavam com ele como que de amigo para amigo, ele ficava familiarizado com os propósitos e também com a vontade divina. [...]

Entretanto, os descendentes de Abraão se afastaram do culto ao verdadeiro Deus e transgrediram Sua lei. Misturaram-se com as nações que não tinham conhecimento algum de Deus, nem temor a Ele. Gradativamente, passaram a imitar seus usos e costumes, até que a ira do Senhor se acendeu contra eles, e Ele permitiu que seguissem os próprios caminhos e os desígnios de seu coração corrupto. [...]

Porém, quando se humilharam diante de Deus e reconheceram seu procedimento, clamando fervorosamente pela libertação do jugo opressivo dos egípcios, o clamor deles e a promessa de serem obedientes alcançou o Céu. Suas orações foram respondidas de modo maravilhoso. Israel foi tirado do Egito e a aliança feita com seus pais foi renovada através deles.

Assim foi o conhecimento da lei de Deus preservado através de sucessivas gerações, desde Adão até Noé, de Noé até Abraão, e de Abraão até Moisés (Signs of the Times, 22 de abril de 1886).


-> Texto: Ellen G. White, do devocional 2013 “Perto do Céu”, da Casa Publicadora Brasileira
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...