Sacrifício Mais Excelente

Pela fé, Abel ofereceu a Deus mais excelente sacrifício do que Caim; pelo qual obteve testemunho de ser justo. Hebreus 11:4

Estes dois irmãos, Caim e Abel, representam toda a família humana. Ambos foram provados quanto ao ponto da obediência, e todos nós seremos provados da mesma forma. Abel passou pela prova dada por Deus. Revelou o valor de um caráter reto, os princípios da verdadeira piedade. A religião de Caim, porém, não tinha bom fundamento. Era baseada nos méritos humanos. Ele trouxe para apresentar a Deus algo em que havia interesse pessoal – os frutos da terra, produto

Ambos eram pecadores e ambos reconheciam o direito de Deus à reverência e à adoração. Segundo a aparência exterior, sua religião era a mesma até certo ponto, mas o registro bíblico nos mostra que houve um tempo em que a diferença entre os dois era grande. Essa diferença estava na obediência de um e na desobediência do outro.


O apóstolo disse que “Abel ofereceu a Deus mais excelente sacrifício do que Caim”. Abel apreendeu os grandes princípios da redenção. Viu-se como um pecador e viu o pecado e sua pena de morte entre seu coração e a comunhão com Deus. Trazia morta a vítima, aquela vida sacrificada, reconhecendo assim as reivindicações da lei que fora transgredida. Por meio do sangue derramado, olhava para o futuro sacrifício – Cristo morrendo na cruz do Calvário. Confiando na expiação que ali seria feita, tinha o testemunho de que era justo e de que sua oferta havia sido aceita.

Como Abel conhecia tão bem o plano da salvação? Adão o ensinou aos seus filhos e netos. [...] Depois que Adão pecou, um sentimento de terror se apoderou dele. Sentia dentro de si um constante temor. A vergonha e o remorso torturavam-lhe o coração. Nesse estado mental, desejava estar o mais distante possível da presença de Deus, a quem ele tivera tanto prazer de encontrar no lar edênico. Porém, o Senhor foi em busca desse homem que carregava tanto peso de consciência e, embora condenasse o pecado do qual Adão era culpado, ofereceu-lhe as palavras da graciosa promessa (Signs of the Times, 23 de dezembro de 1886).


-> Texto: Ellen G. White, do devocional 2013 “Perto do Céu”, da Casa Publicadora Brasileira.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...