Um tipo de Cristo

Vós, na verdade, intentastes o mal contra mim; porém Deus o tornou em bem, para fazer, como vedes agora, que se conserve muita gente em vida. Gênesis 50:20

Jacó previu um futuro animador para a maioria de seus filhos. Especialmente para José, ele proferiu palavras eloquentes de natureza feliz: “José é um ramo frutífero, ramo frutífero junto à fonte; seus galhos se estendem sobre o muro. Os flecheiros lhe dão amargura, atiram contra ele e o aborrecem. O seu arco, porém, permanece firme, e os seus braços são feitos ativos pelas mãos do Poderoso [Deus] de Jacó” (Gn 49:22-24). [...]

A vida de José ilustra a de Cristo. Os irmãos de José tinham o propósito de matá-lo, mas finalmente se contentaram em vendê-lo como escravo, para evitar que se tornasse maior do que eles. Pensavam tê-lo colocado onde não mais seriam atormentados com seus sonhos e onde não haveria possibilidade para seu cumprimento. Mas Deus utilizou a própria conduta deles para fazer cumprir aquilo que eles jamais desejavam que viesse a ocorrer: que ele tivesse domínio sobre eles.


José andava com Deus. Ao ser encarcerado e sofrer por causa de sua inocência, a tudo suportou mansamente e sem murmuração. Seu domínio próprio e paciência na adversidade e sua inquebrantável fidelidade foram deixados em registro para benefício de todos os que posteriormente vivessem na Terra. [...]

A vida de Jesus, o Salvador do mundo, foi um modelo de beneficência, bondade e santidade. Mesmo assim, foi desprezado, insultado, escarnecido e ridicularizado por nenhuma outra razão senão a de que Sua vida justa era uma constante reprovação ao pecado. Seus inimigos não ficaram satisfeitos até que Ele foi entregue em suas mãos para que pudessem expô-Lo a uma morte vergonhosa. Morreu pela raça culpada e, enquanto sofria a mais cruel tortura, mansamente perdoou Seus assassinos. Ressurgiu dos mortos, ascendeu a Seu pai, recebeu todo o poder e autoridade e retornou à Terra, a fim de comunicá-los a Seus discípulos. Ele concedeu dons aos seres humanos. E todos os que O buscam em arrependimento, confessando seus pecados, Ele os recebe em Seu favor e os perdoa livremente. E se permanecerem leais, Ele os exaltará a Seu trono e os tornará herdeiros de uma herança que Ele adquiriu com o próprio sangue (Signs of the Times, 5 de fevereiro de 1880). (Inspiração Juvenil)
-> Texto: Ellen G. White, do devocional 2013 “Perto do Céu”, da Casa Publicadora Brasileira
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...