Motivo de alegria


Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações, pois vocês sabem que a prova da sua fé produz perseverança. Tiago 1:2, 3

Você alguma vez já se frustrou 
com situações da vida e se perguntou por que Deus “permitiu” que acontecessem, quando Ele tem o poder para impedir que ocorram? Encontrei um texto que realmente me deixou chocada, mas era justamente o que eu precisava naquele momento: “Cada um tem suas próprias batalhas a travar, sua própria experiência cristã a obter, a certo respeito, independentemente de qualquer outra pessoa; e Deus tem lições para cada um aprender por si, que nenhum outro pode aprender por ele. [...] Nosso Pai celeste mede e pesa toda prova antes de permitir que ela sobrevenha ao crente. Considera as circunstâncias e força daquele que há de estar sob a experiência e provação de Deus, e jamais permite que as tentações sejam maiores que a capacidade de resistência” (Nossa Alta Vocação, p. 321). Imagine isto – Deus mede e pesa cada provação. Se Ele me dá uma prova, sabe que posso superá-la.

Descobri essa citação quando questionava a morte de um querido amigo, um maravilhoso cavalheiro cristão que morreu na força da vida, deixando uma jovem esposa e duas lindas menininhas. Cerca de um ano mais tarde, perdemos outro jovem colega para o câncer. Ele deixou a esposa e três filhos pequenos. Por que, Senhor, permites que Teus filhos passem por essas provas? Agora entendo que Deus permite o sofrimento – que Satanás causa, não Deus – para que possamos ver o resultado do pecado e volver-nos para Deus. Tiago acertou quando escreveu o texto de hoje.


Aprender a adorar a Deus em meio às minhas provas me capacitou a considerá-las motivo de toda alegria, a aceitar que posso não entender agora o que estou passando, mas saber que meu Pai celestial tem o controle de tudo. É impressionante como o Senhor usou esses incidentes para me preparar para lidar com um câncer que se desenvolveu rapidamente e provocou a morte de minha mãe. Em meio a tudo isso, nossa família ainda conseguiu considerar esse fato como motivo de alegria; ela não sentiu dor e a químio não lhe causou mal-estar. Ela faleceu sabendo que a próxima voz que haverá de ouvir será a do Pai celeste recebendo-a em casa.

Senhor, ajuda-me a ver o sofrimento como Tu o vês.

 (Lynn Smith inMeditação da Mulher)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...