Dupla escravidão

Disse também Faraó: O povo da terra já é muito, e vós o distraís das suas tarefas. Êxodo 5:5

Arão, sendo instruído pelos anjos, saiu ao encontro de seu irmão, de quem estivera tanto tempo separado; e encontraram-se em meio à solidão do deserto, no monte de Deus. [...] Juntos viajaram para o Egito. Tendo chegado à terra de Gósen, puseram-se a congregar os anciãos de Israel. Arão, o eloquente porta-voz, referira-lhes todo o trato de Deus para com Moisés, e então os sinais que Deus dera a Moisés foram exibidos perante o povo. “O povo creu; e ouviram que o Senhor visitava aos filhos de Israel, e que via sua aflição; e inclinaram-se e adoraram” (Êx 4:31).


A tarefa seguinte dos dois irmãos era conversar pessoalmente com o rei. Entraram no suntuoso palácio de Faraó como emissários de Jeová. Sabiam que Deus estava com eles ali e falaram com autoridade: “Assim diz o Senhor, Deus de Israel: Deixa ir o Meu povo, para que Me celebre uma festa no deserto” (Êx 5:1). [...]

As notícias a respeito deles e do interesse que estavam provocando entre o povo já haviam alcançado o rei. A ira dele se acendeu. [...]

No mesmo dia, foram expedidas ordens para que os superintendentes tornassem a escravidão dos israelistas ainda mais cruel e opressiva. O material de construção mais comum naquele país era o tijolo secado ao sol, misturado à palha cortada para dar liga ao barro. Dele eram feitas as paredes dos mais belos edifícios, e então forradas com pedra. O rei determinou então que não mais se fornecesse palha. Os trabalhadores deviam procurá-la por si mesmos, sendo-lhes, porém, exigida a mesma quantidade de tijolo. [...]

Quando o mandado do rei entrou em vigor, o povo se espalhou por toda a terra para colher restolho em lugar de palha, mas acharam impossível fazer a quantidade usual de trabalho. Por essa impossibilidade, os oficiais hebreus, bem como o povo, foram cruelmente espancados. [...]

Os hebreus tinham esperado obter a liberdade sem qualquer prova especial de sua fé, ou qualquer sofrimento ou dificuldade real. Porém, ainda não estavam preparados para o livramento. Tinham pequena fé em Deus e não estavam dispostos a suportar pacientemente suas aflições até que Ele achasse oportuno operar em favor deles (Signs of the Times, 4 de março de 1880).


-> Texto: Ellen G. White, do devocional 2013 “Perto do Céu”, da Casa Publicadora Brasileira
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...