O chamado de Gideão

Israel ficou muito debilitado com a presença dos midianitas; então, os filhos de Israel clamavam ao Senhor. Juízes 6:6 

Ah! Como é triste saber que, na história do povo escolhido de Deus, o lamentável relato de apostasia e punição seja tão frequentemente repetido! [...]

Por causa de seus pecados, a mão protetora de Deus foi retirada de Israel. Foram deixados à mercê de seus inimigos. Os habitantes selvagens e cruéis do deserto [os
midianitas e amalequitas], numerosos “como gafanhotos” (v. 5), vinham como enxame sobre a terra, com seus rebanhos e gado, e armavam suas tendas na planície e no vale. Vinham logo que as searas começavam a amadurecer e ficavam até que os últimos frutos da terra fossem colhidos. Despojavam os campos de seus produtos, roubavam e maltratavam os habitantes e então voltavam aos desertos. [...] 

Por sete anos continuou essa opressão. Então, em sua aflição, o povo se lembrou
dAquele que os havia livrado tantas vezes e clamou ao Senhor por auxílio. [...]

Suas orações foram ouvidas. Novamente o Senhor enviou um homem, por Ele escolhido, para ser o libertador de Israel. Assim, o escolhido foi
Gideão, da tribo de Manassés. [...] Foi senão com grande dificuldade que os hebreus puderam esconder alimento suficiente para livrá-los de morrer em razão da fome. Gideão tinha conservado em seu poder uma pequena quantidade de trigo. Temendo batê-lo na eira comum, levou-o para a vinha, próximo ao lagar. Estando ainda distante o tempo do amadurecimento das uvas, a atenção dos midianitas não seria dirigida para aquele local. [...] Gideão chegava quase a se desesperar com o desejo de transmitir fé e coragem ao povo, mas sabia que o Senhor operaria poderosamente em favor de Israel, assim como fizera no passado. [...]

Enquanto a mente de
Gideão estava absorta em tais pensamentos, subitamente o Anjo do Senhor apareceu e Se a ele dirigiu com estas palavras: “O Senhor é contigo, varão valoroso” (v. 12).

A natureza melancólica dos pensamentos de
Gideão é revelada em sua resposta: “Ai, Senhor meu, se o Senhor é conosco, por que tudo isto nos sobreveio?” (v. 13). [...] Com o senso da própria incapacidade para tão importante tarefa, Gideão exclamou: “Ai, Senhor meu, com que livrarei a Israel? Eis que a minha família é a mais pobre em Manassés, e eu, o menor na casa de meu pai” (v. 15). Então o anjo lhe deu a graciosa certeza: “Porquanto eu hei de ser contigo, tu ferirás os midianitas como se fossem um só homem” (v. 16) (Signs of the Times, 23 de junho de 1881). 

-> Texto: Ellen G. White, do devocional 2013 “Perto do Céu”, da Casa Publicadora Brasileira
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...