Bendizer os Inimigos

"Quando somos amaldiçoados, nós abençoamos" (1 Coríntios  4:12)


Essa história aconteceu há mais de 40 anos, na América Latina. Nesse país em particular, o povo não tinha liberdade para adorar a Deus. Qualquer pessoa que se unisse à Igreja Adventista corria grande perigo. Cristóvão, de 17 anos de idade, sabia que estava arriscando a vida, mas decidiu permanecer leal a Jesus.


Cristóvão voltou para casa depois do trabalho, certa tarde, para encontrar um oficial da polícia esperando por ele. O policial levou-o sob a mira do revólver para uma floresta, junto com outros seis homens adventistas.

A mãe e as irmãs de Cristóvão ficaram chorando, enquanto os cristãos iam sendo levados embora. Ele gritou para elas: – Não se preocupem! Eles podem perseguir-me, mas nunca negarei minha fé! Se necessário, serei fiel até à morte!

As mulheres caíram de joelhos e começaram a orar. "Por favor, Senhor Deus, livra Cristóvão, se for de Tua vontade". Após a oração, entraram cautelosamente na floresta, na direção para onde os homens haviam ido. De repente, um tiro soou na floresta, depois outro e mais outro. Um, dois, três, quatro, cinco, seis, sete. Depois tudo ficou em silêncio. O sol já havia declinado, e as mulheres ficaram com medo de adentrar mais ainda na floresta escura.

Bem cedo, na manhã seguinte, descobriram os sete homens. Seis estavam mortos, mas Cristóvão ainda vivia. Improvisaram um tipo de maca e carregaram-no para o hospital. Cristóvão dormiu um pouco. Quando acordou, deslizou para a borda do leito e colocou-se de joelhos. Começou a orar. Em favor de quem você acha que ele orou?

A oração dele foi mais ou menos assim: "Querido Senhor, por favor abençoa o policial que me levou para a floresta. Abençoa seus auxiliares. Perdoa-lhes o que fizeram. Ajuda-os a encontrar Tua verdade na Bíblia. Ajuda para que abandonem seus pecados e eu possa vê-los no Céu! Abençoa também minha mãe e minhas irmãs. Ajuda-as para que se conservem fiéis". Depois ele morreu.

O Deus que deu a Cristóvão o amor para bendizer seus inimigos, ainda está vivo. Ele nos ajudará a orar por aqueles que não nos tratam muito bem.

(Dorothy Eaton Watts. In: Inspiração Juvenil 2012: amigo é pra essas coisas. Tatuí: CPB, 2012. Texto digitado por Reginaldo Santos e publicado no grupo 
Boas Novas).
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...