Um Amigo Perdoador


"Senhor Deus compassivo, clemente e longânimo [...] que guarda a misericórdia em mil gerações, que perdoa a iniquidade, a transgressão e o pecado" (Êxodo 34:6 e 7).

Aos 17 anos, William
Herschel foi admitido na Guarda Hanoveriana, a serviço da Grã-Bretanha. Naquele mesmo ano, foi destacado com os outros guardas para proteger o rei. William, entretanto, não apreciou a vida com seus rudes companheiros de exército. Interessava-se por outras coisas como música e astronomia. Assim desertou, mas vivia em temor constante de ser descoberto e castigado. Caso fosse apanhado, a pena seria a morte.

Depois de ter conseguido por alguns anos evitar a captura, recebeu uma notificação para apresentar-se perante o rei George III, no Castelo de Windsor. "Ai, não! Fui descoberto!", pensou o agora bem-sucedido astrônomo. "Com certeza serei exposto perante o público e depois jogado no cárcere para aguardar a execução!" Tentar fugir agora era algo fora de cogitação. Ele teria de enfrentar aquela prova.

Foi com o coração apertado que William, o desertor da guarda real, entrou no Castelo de Windsor para ver Sua Majestade. "Não há nada que eu possa fazer, a não ser admitir meu erro e acatar a punição", concluiu William. Caminhou temerosamente na direção do rei. Este sorriu enquanto William se aproximava. Deixou seu trono e saudou o cientista. Disse: – Antes de discutirmos ciências, há uma pequena questão burocrática que precisamos resolver. – E estendeu a William um documento com o selo real, assinado pelo próprio rei George.

Com mãos trêmulas, William abriu o documento. Era o perdão por sua deserção, escrito pela própria mão do rei! Lágrimas lhe encheram os olhos, enquanto um peso tremendo de culpa saía de seus ombros. Não precisava mais esconder-se. Não mais enfrentaria a morte por seu crime.

Durante o tempo em que se escondeu da justiça, William aceitara a Jesus como seu Salvador pessoal. Ele viu, nessa experiência com o perdão do rei, uma ilustração daquilo que Jesus havia feito por ele, perdoando-lhe todos os pecados.

Você sente culpa por algo que tenha feito no passado? Teme que sejam tornadas públicas as coisas que você fez em segredo? Jesus lhe oferece o perdão e o livra da condenação e da culpa. Ele deseja ser seu Amigo.

(Dorothy Eaton Watts. In: Inspiração Juvenil 2012: amigo é pra essas coisas. Tatuí: CPB, 2012. Texto digitado por Reginaldo Santos e publicado no grupo 
Boas Novas).
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...