Dia do Destino

Em vez disso, Ele Se sacrificou de uma vez por todas, aniquilando todos os outros sacrifícios mediante Seu próprio sacrifício, a solução final para o pecado. Hebreus 9:6.

Alguns eventos ficam gravados na memória. Para a geração mais antiga, um desses eventos foi a morte de John F. Kennedy. Naquela época, as pessoas eram capazes de relatar vividamente onde estavam e o que faziam no momento em que ouviram a notícia do assassinato. Para as pessoas hoje, a data 11 de setembro se tornou o dia do destino.

Era manhã de terça-feira, o que significa que a Comissão Administrativa da Associação Geral se reuniria às 9h. Ao encontrar-me com os outros membros da comissão poucos minutos antes da reunião, alguém informou que uma aeronave havia atingido uma das torres gêmeas do World
Trade Center, em Nova York. Não demos muita atenção à notícia – provavelmente uma pequena aeronave havia esbarrado no edifício numa manhã nublada.

Começamos a reunião. Quinze minutos depois, recebemos mais notícias: outra torre do edifício havia sido atingida por uma segunda aeronave. Não se tratava de um acidente; os eventos eram parte de um plano de ataque terrorista.

Tentamos nos concentrar no trabalho, mas não demorou muito e recebemos uma terceira notícia: o Pentágono, apenas a poucos quilômetros do local em que se encontra o prédio da Associação Geral, havia sido atingido por outra aeronave. Havia ainda mais uma aeronave terrorista da qual não se tinha notícia. Circulavam rumores de que o Departamento de Estado havia sido atingido por ela.

Em poucos minutos, o presidente da igreja na ocasião, pastor Jan
Paulsen, convocou uma reunião com todos os funcionários. Ele informou a todos sobre os ataques, pediu que mantivéssemos a calma e partilhou palavras de conforto da Bíblia.

11 de setembro. A data em si se tornou sinônimo dos eventos daquele dia terrível. Foi um dia do destino, um momento crucial. Sentimos no íntimo de nosso ser que a vida nunca mais seria a mesma. Para os Estados Unidos e para o mundo, o futuro seria diferente; podíamos pressentir essa mudança.

O dia em que Jesus morreu no Calvário foi o supremo Dia do Destino. A história mudou nesse dia – e para melhor. Pois nesse dia Jesus pagou o preço final pelos nossos pecados e garantiu nossa salvação.

(Meditações Diárias / Rede Maranatha)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...