A Amiga de Cristiano


Eu me fazia de olhos para o cego e de pés para o coxo. 29:15

Cristiano sofria de paralisia cerebral por causa de um problema que tivera ao nascer. Com cinco anos de idade, ainda era indefeso como um recém-nascido. Seus braços e dedos torcidos mexiam-se constantemente, esticando-se todo o tempo numa ou noutra direção. Sua cabeça pendia para os lados. Ele babava. Era um garotinho torto e de aparência esquisita.


Aos sete anos, aprendeu a segurar um lápis com os dedos de seu pé esquerdo, e escrevia palavras. Gostava de deitar-se no chão e pintar quadros com o pincel preso em seu pé esquerdo.

Então chegou o dia em que sua mãe e companheira constante foi levada para o hospital. Cristiano, com 11 anos de idade, ficou o dia inteiro deitado no sofá, sem vontade de escrever ou pintar. Sentia-se muito só.

O pai dele foi abrir a porta, pois alguém havia batido, e lá estava uma graciosa adolescente, Katy Delahunt.

– Vim visitar o Cristiano – disse ela.

– Oi, Cristiano! – começou Katy. – Sua mãe me falou a seu respeito.

Cristiano deu um grunhido, e ela sentou-se ao seu lado no sofá.

– Eu quis conhecê-lo – continuou Katy. – Sua mãe está preocupada com você. Ela me contou como você pinta quadros com o pé esquerdo. Achei que talvez você quisesse escrever um bilhetinho para sua mãe. Ela ficaria muito feliz.

Cristiano balançou a cabeça e sorriu. Seu pai o ergueu e, segurando o lápis entre os artelhos, Cristiano escreveu: “Querida mãe, não se preocupe. Tudo OK. Bastante comida. Fique boa logo. Cristiano.”

Depois disso, Katy visitou Cristiano com frequência. Trouxe-lhe pincéis, tintas e livros de desenho, bem como notícias boas acerca de sua mãe. Conversou com ele e observou-o enquanto trabalhava. Ajudou-o a entrar num concurso de desenhos, do qual foi o vencedor. Katy se tornou braços e pernas para Cristiano, o seu elo com o mundo exterior. Incentivava-o.

“Ela foi amiga e uma grande inspiração para mim durante as lutas e os anos que ainda estavam pela frente”, escreveu Cristiano.


Escolhendo Amigos

À semelhança de Katy, podemos escolher ser amigos de alguém que não pode fazer nada por nós como retribuição. Conhece você alguém para quem poderia ser os olhos ou as pernas?


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...