Corrida de pijama

Os velozes nem sempre vencem a corrida; os fortes nem sempre triunfam na guerra; os sábios nem sempre têm comida; os prudentes nem sempre são ricos; os instruídos nem sempre têm prestígio; pois o tempo e o acaso afetam a todos. Eclesiastes 9:11


Nuvens cinzentas dominavam o céu e o vento sacudia as árvores, fazendo-as dançar freneticamente. Eu estava sentada junto ao aquecedor, vestindo meu pijama roxo, com o laptop sobre os joelhos enquanto preparava o seminário para aquela noite. Folhas e ramos soprados pelo vento forçaram o gato a entrar, enquanto eu observava, feliz, o circo da natureza em ação. Então chegou o carteiro. Eu estava contente ali dentro, mas o receio de perder a correspondência para os elementos me forçou a sair do meu aconchegante lugar de descanso.


Calçando os tênis, decidi arriscar uma corrida até a caixa de correspondência. Ficava a uns 15 metros, e eu estaria logo de volta. Enquanto pegava as cartas, ouvi um poderoso baque e meus temores se confirmaram: A porta da frente se trancara, e eu estava do lado de fora, de pijama. Eu havia fechado seguramente todas as janelas para impedir que o vento entrasse, e assim restava apenas um curso de ação.

A imobiliária ficava a mais de um quilômetro de distância, num pequeno centro local de compras. Desci a rua correndo, sorrindo e cumprimentando as pessoas, que me olhavam de modo incomum. Quando cheguei ao escritório, a maior parte dos meus vizinhos havia assistido à minha corrida de pijama, e os compradores no local davam risadinhas ao ver meus trajes. Nossa corretora sorriu enquanto eu entrava voando em seu escritório. Então lhe expliquei o que havia acontecido.

A vida tem muitas voltas inesperadas. Imaginamos nosso futuro e fazemos planos para chegar lá bem vestidas, com o cabelo penteado e o hálito fresquinho. Todavia, com muita frequência, acabamos fazendo desvios, as roupas ficam amarrotadas e chegamos ao futuro um pouco piores, devido ao desgaste. Eclesiastes declara que, a despeito dos planos que fazemos, o tempo e o acaso acontecem para todos nós. Assim, enquanto estivermos nesta jornada da vida, podemos muito bem sorrir e desfrutar o passeio. Entrar em casa e sair da ventania e dos olhares da vizinhança foi um alívio, embora eu ainda sorria ao pensar nisso. Quando o tempo e o acaso lhe lançarem um desvio, lembre-se de sorrir.

(Susan Magaitis inMeditação da Mulher)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...