Oração de criança


Eduque a criança no caminho em que deve andar, e até o fim da vida não se desviará dele. Provérbios 22:6

Eu tinha apenas 6 anos de idade quando me ajoelhei ao lado da cadeira na minha classe, na igreja, e pedi que Jesus entrasse no meu coração.

Quando voltamos da igreja para casa naquela tarde, não perdi tempo em convidar minhas amigas da casa ao lado para virem brincar. No quintal, preguei meu primeiro sermão para elas, dizendo-lhes que orassem porque Deus as amava e podia enxergá-las através do telhado! Não sei que impressão isso exerceu sobre elas no momento, mas acho que foi importante.


Aquele inverno foi particularmente rigoroso. Como sempre, fui a primeira da família a adoecer. Depois de eu passar três dias com febre alta e dor de garganta, mamãe e papai me levaram à clínica infantil. Ela estava extremamente movimentada naquele dia, e esperamos num cubículo por um tempo que pareceu horas. Por fim, papai foi ao balcão para saber por quanto tempo teríamos que esperar. Enquanto ele estava lá, desci da maca e espiei pela cortina o cubículo ao lado. Eu ouvira um choro vindo de lá e queria ver o que estava acontecendo. Ali, sobre a maca, estava sentado um adolescente; um médico estava enfiando uma longa agulha no nariz dele. Isso me assustou tanto que me afastei da cortina e voltei para a maca, tremendo. “Por favor, Deus”, orei, “não deixes que ele faça isso comigo. Por favor, manda o doutor embora ou me deixa ir para casa.”

Meu pai voltou e disse que não havia encontrado ninguém no balcão. Assim que ele se assentou, uma enfermeira entrou no cubículo e disse: “O médico foi chamado para uma emergência, e vocês terão que voltar amanhã, ou então dirigir-se ao pronto-socorro.” Garanti ao meu pai que eu estava me sentindo melhor e fomos para casa. Daquele dia até hoje, estou convencida de que o Senhor ouviu minha oração. Através dos anos, quando fico desanimada, penso em como Deus respondia às minhas orações de criança e como minhas dúvidas e apreensões desapareciam.

Deus tem respondido a muitas das minhas orações desde então – nem sempre do modo como desejei. Mas entendi que Ele fez o melhor.

Muito obrigada, Senhor, por teres respondido à minha oração de criança, tanto tempo atrás. Sei que tens sempre pleno conhecimento de nossa vida e estás disposto a auxiliar em tempos de necessidade. Amém! 

(Margaret E. Fisher (Meditação da Mulher)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...