Os sorrisos de Deus


Vejam como crescem os lírios do campo. Eles não trabalham nem tecem. [...] Nem Salomão, em todo o seu esplendor, vestiu-se como um deles. Mateus 6:28, 29

A neve, que derretia rapidamente ao nosso redor, enchia de água valetas, regatos e brejos. Sabíamos que a primavera chegaria logo. Nosso ânimo se refazia ao nos livrarmos de camadas de roupas. Mas é necessário muito agasalho para enfrentar o frio, as nevascas e a neve em Dakota do Norte.

Então, ficávamos atentos ao primeiro sinal do açafrão violeta que cobriria prados e colinas. Quando estavam em plena floração, passávamos o recreio na escola colhendo essas flores delicadas, lindas, enchendo qualquer recipiente que contivesse água. Nossa sala parecia um jardim florido. Para mim, não havia nada mais bonito. Lembrando-me dos ramalhetes de orquídeas, gardênias ou rosas que já recebi, acho que nenhum trazia a mesma mensagem dos açafrões. Eles me diziam que Dakota do Norte era um “lugar ótimo” para viver, embora outros achassem que havia apenas uma cerquinha entre nós e o Polo Norte. Ridículo!


A seguir, na estação, vinham os dentes-de-leão. Também me lembro do ramalhete amarelo vivo que fiz para minha mãe. Ela o recebeu com admiração e amor.

Em junho, e para o restante do verão, uma sinfonia de cores vivas e uma variedade de flores irrompiam do jardim. Mamãe sempre reservava um espaço especial para suas flores. Era grande demais, pensávamos nós, crianças, ao passarmos horas sob o sol quente, cavando e arrancando ervas daninhas. Mas tínhamos o orgulho de carregar grandes buquês para a igreja cada semana, a fim de serem colocados sobre o piano.

Hoje, tenho acesso a floriculturas, e elas, a mim. No último Dia das Mães, recebi um ramalhete de 50 flores, de minha filha em Londres, e flores brancas e cor-de-rosa do meu filho na Califórnia. Fico encantada com a beleza das flores e as aprecio. Mas, por algum motivo, a lembrança da natureza especial dos açafrões da primavera ainda permanece. Era como se Deus estivesse sorrindo para mim.

Ouvi dizer que as flores são o reflexo dos sorrisos de Deus para nós. Quão belos são os arranjos florais que Ele faz para a apreciação e bênção de Seus filhos! Nossos sorrisos são como as flores de Deus – importantes para tornar o mundo um lugar melhor. Não nos esqueçamos delas cada dia – independentemente da estação do ano.

(Dessa Weisz Hardin in Meditação da Mulher)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...