Arraigados em Cristo


Ele é como árvore plantada junto a corrente de águas, que, no devido tempo, dá o seu fruto, e cuja folhagem não murcha; e tudo quanto ele faz será bem-sucedido. Salmo 1:3

Essas passagens descrevem o
estado feliz daquele cujo coração está arraigado e alicerçado em Cristo. Mas há sempre perigo de ficar satisfeito com uma obra superficial; há sempre o risco de que as pessoas não se ancorem em Deus, mas se contentem em flutuar daqui para ali, objetos das tentações de Satanás.

Está você começando a enxergar os defeitos de seu caráter? Não se sinta desamparado e desanimado. Olhe para Jesus, que conhece cada uma de suas fraquezas e Se compadece de cada uma de suas debilidades. [...] Não devemos considerar um infortúnio confessar e abandonar nossos pecados. O infortúnio recai sobre aqueles que conhecem seus pecados, mas continuam a praticá-los e afligem o querido Salvador por causa de seus caminhos tortuosos. Devemos valorizar muito mais o conhecimento de nossos erros do que o feliz enlevo de sentimentos, pois essa é uma evidência de que o Espírito de Deus está trabalhando conosco e de que os anjos estão ao nosso redor. [...]


Em verdadeira contrição podemos nos lançar ao pé da cruz, e ali depor nosso fardo. Pratique o arrependimento para com Deus por ter transgredido Sua lei e a fé em nosso Senhor Jesus Cristo para perdoar suas transgressões e reconciliá-lo com o Pai. Creia no que Deus diz; guarde Suas promessas no coração. [...]

Veja o cansado viajante arrastando-se através da areia quente do deserto, sem nenhum abrigo a protegê-lo dos raios do sol tropical. Seu suprimento de água acaba e ele nada mais tem com que mitigar a sede ardente. A língua fica inchada; ele cambaleia como um bêbado. Visões do lar e dos amigos surgem em sua mente e ele se vê pronto a perecer no terrível deserto. De repente, os que estão à frente emitem um grito de alegria. Subitamente, ele percebe, à distância, erguendo-se da seca expansão arenosa, uma palmeira, verde e vigorosa. [...]

Como a palmeira, extraindo nutrição das fontes de água viva, é verde e florescente em meio ao deserto, assim pode o cristão colher fartas provisões de graça da fonte do amor de Deus, e pode guiar vidas cansadas, cheias de desassossego e prontas a perecer no deserto do pecado, àquelas águas de que elas podem beber e receber vida (Signs of the Times, 26 de junho de 1884).


-> Texto: Ellen G. White, do devocional 2013 “Perto do Céu”, da Casa Publicadora Brasileira

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...