Ouvintes da boa terra


Outra caiu em boa terra e deu fruto: um, a cem, outro, a sessenta, e outro, a trinta. Mateus 13:8

Que alento saber que o semeador nem sempre será desapontado. A semente, às vezes, é recebida pelo coração sincero. O ouvinte compreende a verdade e não resiste ao Espírito Santo nem recusa receber a impressão da verdade sobre o coração. [...] Ele recebe a verdade no coração e ela realiza uma obra transformadora em seu caráter. Ele não é capaz de mudar o próprio coração, mas o Espírito Santo, através de sua obediência à verdade, santifica-o.

Um coração bom não significa um coração sem pecado, pois o evangelho deve ser pregado ao perdido. Jesus disse: “Não vim chamar justos, e sim pecadores” (Mc 2:17). O pecador condenado se vê como transgressor no grande espelho moral, a santa lei de Deus. Contempla o Salvador, na cruz do Calvário, e indaga a razão de ter sido feito tão grande sacrifício.


A cruz aponta para a santa lei de Deus, que foi transgredida. Foi para salvar o transgressor da ruína que Aquele que era igual a Deus ofereceu Sua vida no Calvário. [...] A lei não tem poder para perdoar o malfeitor, mas Jesus tomou sobre Si os pecados do transgressor, e assim como o pecador exercita fé
nEle como seu sacrifício, Cristo atribui Sua justiça ao culpado. Há apenas um caminho para a salvação desde os dias de Adão. “Abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos” (At 4:12). Não temos razão para temer, enquanto mantivermos o olhar fixo em Jesus, crendo que Ele é capaz de salvar todos os que se achegam a Ele.

Como resultado da fé ativa em Cristo, entramos em guerra moral com o mundo, a carne e o diabo. Se travarmos essa guerra munidos de nossa própria sabedoria, nossa habilidade humana, certamente seremos vencidos; mas, se exercitarmos a fé viva em Cristo e praticarmos a piedade, entenderemos o significado de ser santificados pela verdade e não seremos vencidos no conflito, pois anjos celestiais estarão acampados ao nosso redor. Cristo é o Capitão da nossa salvação. Ele é quem fortalece Seus seguidores para o conflito moral que eles se comprometem a travar. [...]

Aquele que abre as Escrituras e se alimenta do maná celestial torna-se participante da natureza divina. Ele não possui vida ou experiência separadamente de Cristo. [...] E sabe que, no caráter, precisa ser semelhante Àquele em quem Deus Se compraz 
(Review and Herald, 28 de junho de 1892).

-> Texto: Ellen G. White, do devocional 2013 “Perto do Céu”, da 
Casa Publicadora Brasileira

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...