A queda


Mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: dele não comereis, nem tocareis nele, para que não morrais. Gênesis 3:3

Eva saiu de perto do esposo, para contemplar as coisas maravilhosas da natureza, deleitando-se nos seus cenários coloridos e na fragrância das flores, admirando a beleza das árvores e arbustos. Pôs-se a pensar na restrição que Deus lhes tinha imposto com relação à árvore da ciência do bem e do mal. Ficou deslumbrada com a beleza e abundância que o Senhor providenciara para a satisfação de cada desejo. Tudo isso, disse ela, Deus nos deu para nossa satisfação. [...]

Eva passeava perto da árvore proibida, e foi despertando a curiosidade para descobrir como a morte poderia ocultar-se no fruto dessa árvore agradável. Ficou surpresa ao ouvir que suas interrogações foram acolhidas e repetidas por uma voz estranha: “É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim?” (
Gn 3:1). Eva não percebeu que tinha revelado seus pensamentos conversando em voz alta consigo mesma; desse modo, ficou extremamente atônita ao ouvir que suas inquietações eram respondidas pela serpente. Realmente pensou que a serpente lhe conhecia os pensamentos e que deveria ser muito sábia.

Respondeu-lhe: “Do fruto das árvores do jardim podemos comer, mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: dele não comereis, nem tocareis nele, para que não morrais. Então, a serpente disse à mulher: É certo que não morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se vos abrirão os olhos e, como Deus, sereis conhecedores do bem e do mal” (
Gn 3:2-5). [...]

Eva exagerou as palavras da ordem de Deus. Ele disse a Adão e Eva: “Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás” (
Gn 2:17). Na discussão de Eva com a serpente, ela acrescentou: “Nem tocareis nele, para que não morrais” (Gn 3:3). [...] Essa citação de Eva deu vantagem [à serpente]; colheu o fruto e o colocou nas mãos de Eva, usando suas palavras: “Deus disse que você morreria se tocasse no fruto. Veja, nenhum mal lhe sucedeu ao tocar nele; tampouco sofrerá dano algum ao comê-lo.” [...] Ao comer o fruto, Eva não notou imediatamente dano algum. Então, ela mesma apanhou o fruto para si e para o esposo. [...]

Adão e Eva deveriam estar plenamente satisfeitos com o conhecimento que receberam de Deus por intermédio de Sua obra criada e das instruções dos santos anjos. [...] A ignorância do pecado era para sua felicidade 
(Review and Herald, 24 de fevereiro de 1874).


-> Texto: Ellen G. White, do devocional 2013 “Perto do Céu”, da Casa Publicadora Brasileira

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...