Morte do Primogênito

Todo primogênito na terra do Egito morrerá, desde o primogênito de Faraó, que se assenta no seu trono, até ao primogênito da serva que está junto à mó, e todo primogênito dos animais. Êxodo 11:5

Ao Moisés testemunhar os maravilhosos atos de Deus, sua fé foi fortalecida, e sua confiança, firmada. Pelas manifestações do poder divino, Deus o havia habilitado a permanecer à frente dos exércitos de Israel e, como pastor de seu povo, conduzi-lo para fora do Egito. Por sua firme confiança em Deus, ele havia sido elevado acima do medo. Essa coragem, demonstrada na presença do rei, contrariou-o em sua altivez e orgulho, e o monarca fez a ameaça de que iria matar o servo de Deus. Em sua cegueira, não pôde compreender que essa contenda não era apenas contra Moisés e Arão, mas contra o onipotente Jeová, o Criador dos céus e da Terra. Se Faraó não estivesse cegado por sua rebelião, saberia que Aquele que fizera milagres poderosos, como esses que haviam sido realizados, poderia preservar a vida de Seus escolhidos servos, mesmo que para isso tivesse que exterminar o rei do Egito. Moisés obteve o favor do povo. Era considerado um personagem extraordinário, e o rei não ousaria fazer-lhe mal.


Moisés tinha ainda mais uma mensagem para o rei rebelde, e antes de sair de sua presença, destemidamente declarou a palavra do Senhor: “Cerca da meia-noite passarei pelo meio do Egito. E todo primogênito na terra do Egito morrerá, desde o primogênito de Faraó, que se assenta no seu trono, até ao primogênito da serva que está junto à mó, e todo primogênito dos animais. Haverá grande clamor em toda a terra do Egito, qual nunca houve, nem haverá jamais; porém contra nenhum dos filhos de Israel, desde os homens até aos animais, nem ainda um cão rosnará, para que saibais que o Senhor fez distinção entre os egípcios e os israelitas” (v. 4-7). [...]

Ao Moisés descrever fielmente a natureza e os efeitos da última e terrível praga, o rei ficou extremamente irado. Estava furioso também por não conseguir intimidar Moisés e fazê-lo tremer diante da autoridade real. O servo de Deus, porém, curvou-se em busca de apoio em um braço mais poderoso que o de qualquer monarca terreno (Signs of the Times, 18 de março de 1880).


-> Texto: Ellen G. White, do devocional 2013 “Perto do Céu”, da 
Casa Publicadora Brasileira.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...