O Nome na Viga


"Não altere o julgamento de uma pessoa porque é rica ou porque é pobre" (Levítico 19:15)

James era muito pobre. Seu pai falecera quando James tinha dois anos de idade, e sua mãe lutava para alimentar e vestir os cinco filhos. Na adolescência, James fazia trabalhos avulsos para ajudar a manter a família. Todos os anos, na primavera, ele procurava trabalho como peão nas fazendas. Palmilhando as poeirentas estradas do estado de Ohio, nos EUA, ele chegou à próspera fazenda de Worthy Taylor. – Meu nome é James – disse o adolescente. – Preciso trabalhar.



O S
r. Taylor examinou o robusto, atlético e loiro rapaz. Observou-lhe as roupas gastas, a mochila velha, as mãos calejadas pelo trabalho, o sorriso alegre e contagiante. – Pode ficar – disse ele. – Você vai comer na cozinha, mas terá de dormir no celeiro de feno. – Tudo bem – disse James. – Estou pronto para começar. – Rache um pouco de lenha para o fogão da cozinha. – O sr. Taylor apontou para uma pilha de troncos de árvore ao lado do celeiro. – Depois do almoço vou mostrar-lhe outras coisas.

Na hora do almoço, James viu que o casal Taylor tinha uma filha adolescente. Ela sorriu para ele, e ele entendeu no mesmo instante que seria muito bom trabalhar naquela propriedade. Quando o verão terminou, James estava apaixonado pela filha do fazendeiro. Foi falar com o
sr. Taylor. – Eu amo sua filha – disse James de maneira simples. – Peço-lhe permissão para cortejá-la e posteriormente casar com ela, depois de estabelecer-me na vida.

– Você?! Casar com minha filha? – riu o fazendeiro. – De jeito nenhum! O que é que você tem para oferecer a ela? Não tem dinheiro, não tem nome, e suas perspectivas na vida são muito pequenas. Tenho para minha filha esperanças mais elevadas do que vê-la casada com um serviçal de fazenda!

James sentiu-se arrasado. Colocou seus pertences na velha sacola e desapareceu. Trinta e cinco anos se passaram.
Worthy Taylor derrubou o velho celeiro para construir outro maior. Numa das vigas que sustentavam a cobertura do celeiro onde James dormia, ele descobriu que seu ex-peão havia entalhado com o canivete o seu nome por extenso – James A. Garfield.

Naquele momento, James A. Garfield era o presidente dos Estados Unidos!


Escolhendo Amigos
Nem sempre se pode julgar um livro pela capa ou uma pessoa pelas roupas que veste. O potencial de uma pessoa para tornar-se amiga não se pode medir pela conta bancária. 




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...