Um bebê sadio


Pois Tu formaste o meu interior, Tu me teceste no seio de minha mãe. Graças Te dou, visto que por modo assombrosamente maravilhoso me formaste; as Tuas obras são admiráveis, e a minha alma o sabe muito bem. Salmo 139:13, 14

Desde que completei 14 anos, sofro de 
uma doença intestinal crônica e simplesmente aprendi a conviver com ela. Acostumei-me, inclusive, a engolir as pílulas diárias. Com o tempo, tudo se torna rotina.

No início, havia ocasiões em que me sentia muito bem, mas também havia vezes em que me sentia apreensiva. Por fim, precisei mudar o tratamento e depois acostumar-me ao novo esquema. Então, aprendi a tomar o medicamento de acordo com minha condição física.


Quando engravidei, minha condição mudou rapidamente. Como a medicação era prejudicial ao feto, eu não podia mais tomá-la. Rapidamente perdi peso. Tinha intensas diarreias sanguinolentas e também vomitava. Só sobreviveria se ficasse deitada na cama. Por fim, fui para o hospital, já que minha vida e a do bebê corriam grande perigo. Eu me sentia mal demais, até para comer, e por isso fomos, os dois, alimentados por via intravenosa. Alguns dias mais tarde, colocaram um cateter para ajudar meu corpo a tirar proveito da medicação, sem danos para o bebê. Foi assim que seguimos por mais duas semanas. Eram feitos exames regulares de acompanhamento do feto.

Graças a Deus, ele estava se desenvolvendo bem! Até minha condição física melhorou, embora o bebê ainda corresse risco. Recebi, então, um tratamento médico diferente, que não devia prejudicar a saúde do bebê. Por fim, após cinco semanas no hospital, voltei para casa com meu filho recém-nascido. Meu esposo e eu estávamos tão felizes! Sentíamos gratidão para com Deus, por Ele nos haver protegido de grande perigo. Nosso filho é completamente sadio!

Independentemente da experiência do nosso próprio nascimento – tanto o nascimento físico quanto o renascimento em Cristo Jesus – podemos reclamar as promessas de Isaías 44:2, 21, 24: “Assim diz o Senhor, Aquele que o fez, que o formou no ventre, e que o ajudará.” “Ó Israel, Eu não o esquecerei.” “Assim diz o Senhor, o seu Redentor, que o formou no ventre: Eu sou o Senhor.” 

(Sandra Widulle in Meditação da Mulher)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...