A Vida da Graça


Porque para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro. Filipenses 1:21

Certa vez, um homem me escreveu a respeito de quão injusta a igreja é. Não se trata do que você conhece, mas de quem você conhece, disse ele. A menos que você tenha os contatos certos e o nome certo, você jamais chegará a lugar algum.

Não é bem assim, respondi. Talvez isso seja verdade em alguns casos, mas definitivamente não no meu. A igreja me confiou grandes responsabilidades, mas em termos de contatos e nomes eu não sou ninguém. Assim como Amós, que relembrou seu acusador de que não era profeta, nem filho de profeta (Am 7:14), eu não era líder, nem filho de líder. O Senhor simplesmente impôs Suas mãos sobre mim – eu, alguém que, por assim dizer, saí do nada – e me deu um trabalho a fazer.


Fui e sou o indivíduo mais abençoado de todos. Tudo que realizei de bom foi possível apenas pela graça de Cristo. Toda influência que exerci para a glória de meu Senhor foi possível apenas através da atuação da Sua graça em minha vida e ministério.

As responsabilidades que me foram confiadas me concederam um lugar ao sol superior ao de pessoas muito mais capacitadas do que eu. Ao longo dos anos, várias pessoas me abordam no saguão de aeroportos e em outros locais públicos por terem reconhecido meu rosto a partir de uma fotografia que viram nos livros que publiquei ou da imagem em um programa de televisão. Não sou uma “estrela”. Jesus Cristo é a única “estrela”. Mas meu trabalho gerou uma medida de reconhecimento excedente à de outros cristãos cuja vida e obras refletem a Cristo muito mais do que no meu caso.

Vivemos numa era estranha. A mídia deu vida a algo totalmente novo na história humana: o culto à celebridade. Seres humanos comuns são colocados em evidência. As pessoas passam tempo refletindo sobre a vida desses indivíduos, idolatrando-os. A maioria está disposta a fazer quase qualquer coisa, até mesmo expor-se ao ridículo e ao comportamento vulgar, a fim de aparecer na televisão ou em filmes.

Para mim, viver é Cristo. Tudo se resume nEle; não em mim. Não se trata de uma questão de sucesso dos meus planos; mas de Sua glória. Não se trata de elevar meu ego, ganhar a discussão para provar algo para alguém ou, especialmente, para mim mesmo.

Não tenho que provar nada. Jesus me ama, me aceita, me salva. Isso é tudo que eu preciso aqui na Terra e no Céu.

Texto: William G. Johnsson, do devocional 2012 “Jesus a preciosa graça”, da Casa Publicadora Brasileira.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...