Ser grata por acidentes?


Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o Seu propósito. Romanos 8:28

Lembro-me daquele dia de inverno, 
em que meu esposo e eu fomos fazer exercícios na pista de corrida de nossa comunidade. A temperatura já era de 3 ºC e achávamos que toda a neve se havia derretido. Então, depois de termos percorrido três quartos da pista, chegamos a uma pequena área cujo pavimento estava coberto com gelo. Deslizei sobre o gelo e meu corpo todo caiu em cima do braço esquerdo. Ai! Percebi que havia sofrido uma fratura do pulso. O resultado: cirurgia para consertar a fratura, e parafusos externos para manter os ossos no lugar. Que ironia! Querendo manter-nos saudáveis, estávamos fazendo exercício ao ar livre. O resultado? Uma fratura!


Eu tinha uma escolha a fazer: podia queixar-me ou então ser agradecida pelo acidente e contar as bênçãos. Com a ajuda divina, escolhi ser grata.

Primeiro, sou grata porque a fratura foi simples, e no pulso esquerdo, já que sou destra. Segundo, sou grata pela oportunidade de aprender a ser mais paciente, porque precisei fazer tudo em ritmo mais lento. Terceiro, também desenvolvi mais empatia para com pessoas que têm limitação de movimentos. Quarto, sou grata porque, embora meu esposo tivesse que viajar e cumprir um itinerário porque ninguém podia substituí-lo no último minuto, o Senhor tocou o coração de muitos membros da família e amigos para que me apoiassem. Telefonavam para mim, mandavam e-mails, cartões, flores, plantas, CDs confortadores, frutas diversas e alimento. Alguns me acompanhavam à igreja, aos exames ortopédicos e à fisioterapia. Alguns, inclusive, dispuseram-se a limpar meu apartamento. Trouxeram tanta comida que finalmente precisei dizer: “Por favor, parem! Não me tragam mais alimento!” Quinto, sou grata por estar viva e testemunhar esse notável apoio.

Por último, entendo que o sofrimento pelo qual passei, quando foram tirados os parafusos externos da mão esquerda sem anestesia, não é nada comparado àquilo que meu amorável Jesus enfrentou na cruz para me salvar. Isso me motiva a amá-Lo ainda mais e a servi-Lo com o melhor da minha capacidade, a despeito das limitações que tenho. 

(Kathleen H. Liwidjaja-Kuntaraf in Meditação da Mulher)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...