Presentes incontáveis


Se conheceras o dom de Deus e quem é o que te pede: dá-Me de beber, tu Lhe pedirias, e Ele te daria água viva. João 4:10

Os dons de Deus são concedidos a todos e chegam até nós por meio dos méritos de Jesus, aquele a quem Ele deu ao mundo. O apóstolo Paulo exclamou em gratidão, dizendo: “Graças a Deus pelo Seu dom inefável!” (2Co 9:15). E, com Cristo, Deus nos tem dado todas as coisas. O botão que se abre, as flores que desabrocham em sua variedade e delicadeza, agradáveis aos sentidos, são para nós expressões de amor do Artista-Mestre. [...]

O Senhor tomou grande cuidado para que tudo nos fosse agradável e aprazível, no entanto, empenhou-Se muito mais para nos conceder o dom por meio do qual podemos aperfeiçoar o caráter cristão, segundo o padrão de Cristo.

Por meio das flores do campo, Deus atrai nossa atenção para a amabilidade do caráter semelhante ao de Cristo. [...] Deus é amante do belo. Ele deseja que consideremos as lindas flores do vale e aprendamos lições de confiança nEle. Elas devem ser nossas professoras. [...] O Senhor cuida das flores do campo e as reveste com beleza, no entanto, tornou evidente que valoriza muito mais o ser humano do que as flores das quais cuida. [...]

Suponhamos que nosso bondoso Pai Se cansasse da ingratidão do ser humano e por algumas semanas retivesse Suas inúmeras bênçãos. Suponhamos que ficasse desanimado ao ver Seus tesouros serem empregados para fins egoístas, em não ouvir reação alguma de louvor e gratidão por Suas imerecidas misericórdias e proibisse o Sol de brilhar, o orvalho de cair, o solo de produzir os frutos. Que comoção isso criaria! Que terror assolaria o mundo! Que clamor se elevaria indagando o que poderia ser feito a fim de suprir as mesas com alimento e o corpo com vestimenta! [...]

Deus não cuida apenas dos benefícios temporais para nós, mas proveu para o nosso bem-estar eterno; “porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito, para que todo o que 
nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3:16). [...] Oh, se reconhecêssemos o dom de Deus; se reconhecêssemos o que ele representa para nós, nós o buscaríamos sinceramente com perseverança inabalável! (Signs of the Times, 19 de junho de 1893).

-> Texto: Ellen G. White, do devocional 2013 “Perto do Céu”, da 
Casa Publicadora Brasileira
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...