Problemas com o pai


Enquanto me acomodava no sofá, liguei a televisão para assistir ao show de Tyra Banks. O programa da noite focalizava as operárias do sexo – aquelas que queriam sair da profissão e outras que buscavam provar o glamour da atividade.

Uma moça odiava seu pai adotivo, por tê-la introduzido no mundo da prostituição. Ele lhe mostrara os “segredos” do ofício, bem como 
o que fazer para deixar os homens “felizes”. Outra moça amava seu gigolô, porque ele a havia “descoberto” num shopping, enquanto ela fugia de seu namorado abusivo.
Ele lhe dissera que ela era linda, e prometeu cuidar dela. Tyra ficou enfurecida! Declarou com veemência que um homem como esse era um predador de mocinhas atraentes que tinham problemas de autoestima. Depois, uma ex-prostituta apelou às garotas para que deixassem a vida de prostituição enquanto podiam. Contou que se havia sentido atraída pelos carros, roupas bonitas e apartamento com vista panorâmica da cidade, mas que havia o outro lado terrível da moeda, além de quase ter sido morta nove vezes.

Pensei: Por que essas meninas fazem isso consigo mesmas? Por que vendem tão barato seu corpo de valor inestimável? Seria possível que alguma quantia de dinheiro faria com que valesse a pena o que estavam fazendo consigo mesmas? Concluí que essas moças deviam ter uma coisa em comum: problemas com o pai. Para falar a verdade, cada uma admitiu que sentia falta de um modelo masculino positivo na vida. Ansiavam sentir-se seguras, amparadas e especiais.

Eu gostaria de haver-lhes dito que elas têm, sim, um Pai que as ama sinceramente, que nunca as venderia para homens diferentes. Eu gostaria de ter estado no auditório para gritar a plenos pulmões que elas são princesas de valor infinitamente inestimável. Elas têm um “Pai” que não tem segundas intenções para cuidar delas ou amá-las. Ele foi o Único que levou em consideração o melhor interesse delas.
Ah, como desejei ter sabido disso quando fui adolescente e esperava que um rapaz me dissesse como eu era bonita! Parecia, naquela época da minha vida, que meu coração era um abismo sem fundo. Sentia falta de atenção a cada instante. Mas meu Pai celeste preencheu esse vazio do coração. Se eu permanecer junto dele, Ele Se chegará para ainda mais perto de mim. Sou defendida – e sempre o serei.

(Raschelle Mclean-Jones in Meditação da Mulher)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...