O Bebê Cresceu


Jesus ia crescendo em sabedoria, estatura e graça diante de Deus e dos homens. Lucas 2:52

Para muitos cristãos, Jesus
nunca cresceu. Tais pessoas permanecem concentradas apenas na história de Seu nascimento – Belém, a estrela, os pastores, os magos, a trama de Herodes.

Dois dos Evangelhos (Mateus e Lucas) apresentam detalhes em relação ao nascimento e à infância de Jesus. Portanto, creio ser apropriado dedicarmos tempo a cada ano para contar a história e refletir sobre ela, sempre mantendo em mente, porém, que não sabemos a data exata de Seu nascimento. A data de 25 de dezembro certamente é incorreta, pois os pastores ficaram ao ar livre a noite toda junto aos seus rebanhos, o que não teria sido possível durante o inverno.


Por ser a Encarnação algo maravilhoso e inacreditável – o Deus eterno vindo à Terra como um bebê –, muitos hinos tentam expressar o senso de reverência e adoração. Alguns são mais bem-sucedidos do que outros; e algumas vezes os sentimentos expressam ideias erradas – um Jesus que é tão divino que na realidade não é como nós. Essa é uma ideia que muitos crentes nunca abandonam.

Precisamos avançar no relato bíblico, que nos leva de Belém para a Galileia. Ali Jesus cresceu; ali passou a maior parte de Seu ministério público. Ele ficou conhecido em Jerusalém como o Galileu (Mt 21:11).

Na Galileia, Jesus enfrentou muitas tentações durante a juventude. Na Galileia, Ele escolheu os doze, expulsou espíritos imundos, alimentou multidões, acalmou a tempestade e purificou leprosos. O Bebê da manjedoura trabalhou, suou, orou a noite inteira, mostrou-nos o sentido de uma vida que realmente vale a pena.

No fim, Jesus deixou a Galileia para fazer a última jornada até Jerusalém. Ali sofreu e morreu, tomando sobre Si a morte que era nossa.

Não o Bebê de Belém, mas o Cristo do Calvário nos convida a seguir Seus passos. Não importa se o lugar em que vivemos é tão problemático e de má fama como Nazaré, podemos crescer e vencer as tentações. A cada dia, podemos entregar nossa vida nas mãos do Pai, como Cristo fez. Assim como o Bebê de Belém, precisamos crescer.


-> Texto: William G. Johnsson, do devocional 2012 “Jesus a preciosa graça”, da Casa Publicadora Brasileira

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...