Fé inquestionável


O homem creu na palavra de Jesus e partiu. João 4:50

Na cidade de Cafarnaum, o filho de um nobre jazia doente, à morte. Em vão o pai tentou salvá-lo. Um mensageiro chegou apressadamente à mansão e pediu para ver o nobre. Ele lhe disse que acabava de chegar de Jerusalém e que na Galileia havia um profeta de Deus, que alguns declararam ser o tão esperado Messias. [...] Talvez Ele pudesse curar seu filho.

Quando o nobre ouviu a notícia, a expressão do seu semblante se transformou do desespero para a esperança. [...] A esperança que nasceu em seu coração lhe deu forças a fim de se preparar para a jornada. Antes do amanhecer, ele tomou seu caminho para
Caná da Galileia, para onde se supunha que Jesus houvesse ido. [...]

Ao encontrar Jesus, suplicou-Lhe que fosse a
Cafarnaum e curasse seu filho. “Se não virdes sinais e milagres, não crereis”, Jesus disse (Jo 4:48). Em certo sentido, o nobre acreditava, pois, do contrário, não haveria feito a longa jornada nesse momento tão crítico. Cristo, porém, tinha por objetivo aumentar a fé dele.

Em angustiosa súplica, o pai clamou: “Senhor, desce antes que meu filho morra!” (
Jo 4:49). Ele temia que cada instante que passasse colocaria seu filho mais distante do poder do grande Médico. […] Desejando levá-lo a aperfeiçoar sua fé, o Salvador disse: “Vai, o teu filho vive.”

“E o homem creu na palavra que Jesus lhe disse e foi-se” (
Jo 4:50). Na certeza de que a morte que ele tanto temia não alcançaria seu filho, o nobre não fez pergunta alguma nem pediu qualquer explicação. Ele acreditou.

E incessantemente ele repetia as palavras: “O teu filho vive.”

O poder das palavras do Redentor saiu como um relâmpago, de
Caná até Cafarnaum, e a criança foi curada. […] Ao lado da cama, os que ali estavam observavam, com a respiração suspensa, o conflito entre a vida e a morte. E quando, em um instante, a febre que nele ardia desapareceu, encheram-­se de espanto. Sabendo da ansiedade do pai, foram ao seu encontro com as alegres novas. Ele tinha apenas uma pergunta a fazer: Quando o menino começou a melhorar? Eles lhe disseram, e o nobre ficou satisfeito. [...]

A fé dele foi então coroada com a certeza. […]

Ao trabalharmos para Cristo, necessitamos mais da fé inquestionável desse nobre. [...] Aquele que crê incondicionalmente em seu Salvador encontrará os portais do Céu entreabertos e inundados com a glória vinda do trono de Deus 
(Youth’s Instructor, 4 de dezembro de 1902).


-> Texto: Ellen G. White, do devocional 2013 “Perto do Céu”, da Casa Publicadora Brasileira

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...