Não julgue


Nada façam por ambição egoísta ou por vaidade, mas humildemente considerem os outros superiores a si mesmos. Filipenses 2:3, NVI

Meu esposo e eu viajávamos pela estrada, num verão. Certa manhã, sentamo-nos na sala do desjejum de um hotel e, enquanto eu desfrutava a refeição, observei as pessoas ao meu redor.

Havia pessoas gordas e magras, jovens e mais idosas, e comecei a avaliar todas. As mangas daquele casaco são longas demais. Os sapatos dela estão folgados.
Aquela mulher está usando joias demais. Aquele lá é rígido como uma vara. Continuei nesse tom, até que parei e me perguntei: Afinal, o que estou fazendo? Qual é a minha motivação?Minha autoanálise mostrou que a verdadeira razão era fazer com que eu parecesse melhor. Eu sou perfeita; estou vestida para viajar, e assim por diante. Mas sou eu tão insegura que minha autoestima dependa da aparência das outras pessoas? Preciso medir meu valor para compará-lo com a escala dos outros? Não tenho valor próprio?

Obviamente sei que meu valor não depende de nada: nem de posição, profissão, nem de ser uma avó ou mãe particularmente boa. Ainda assim, parece ser inerente em nós o desejo de ser melhor que os outros. Julgamos precisar dessa afirmação para a nossa 
autoestima.

Mas não precisamos. Temos um Pai no Céu que, vez após vez, nos diz através da Bíblia quão valiosos somos ao Seus olhos. Somos tão preciosos que Ele morreu por nós e não quer deixar-nos sozinhos aqui na Terra. Era e é Seu desejo estar conosco e capacitar-nos a viver em liberdade. Uma parte dessa liberdade é a consciência do valor de cada pessoa. Portanto, somos valiosos desde o momento em que nascemos, e conservamos esse valor independentemente daquilo que fazemos ou deixamos de fazer.

Muitas vezes me esqueço de que tenho valor simplesmente porque Deus me fez. Talvez deva colar uma grande anotação no meu espelho: “Você é preciosa, mesmo que não goste da sua aparência neste momento.”

Após o desjejum, pedi ao meu Pai celeste que me perdoasse a arrogância diante dos outros hóspedes do hotel, e orei pedindo uma nova atitude e conduta para com meu próximo e comigo mesma.

Querido Senhor Jesus, ajuda-me a perceber que, aos Teus olhos, sou sempre valiosa, e perdoa-me se eu tentar encontrar meu valor à custa dos outros.
(Claudia DeJong in Meditação da Mulher)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...