Padre cospe fogo durante missa no Reino Unido


Um padre britânico desenvolveu uma técnica inusitada para atrair fiéis: ele cospe fogo durante a missa.

Na missa de Pentecostes, na Igreja de St. James em Cheltenham, região sudoeste da Inglaterra, Nick Davies revelou a novidade aos cerca de 150 presentes. Assista ao vídeo.

O reverendo contou que tudo começou em churrascos com os amigos. Ele aprendeu o truque apenas para divertir as pessoas.

Mas, ele resolveu levar a brincadeira para a missa quando lembrou da história do dia de Pentecostes quando, de acordo com a Bíblia, os discípulos de Jesus estavam juntos quando sentiram a presença do Espírito Santo e apareceram o que pareciam ser línguas de fogo.

Para Davies, esta imagem da Bíblia é difícil de imaginar e, por isso, ele resolveu usar o truque com o fogo.”

(G1)

Apesar da matéria divulgada dizer que o padre “cuspiu” fogo para atrair fiéis, acredito que ele realmente possa ter feito isso a fim de ilustrar o ocorrido no pentecostes. Não quero me deter a uma discussão se é certo ou errado o que ele fez. Gostaria apenas de aproveitar a notícia para convidá-los a uma reflexão. Temos uma promessa de que o que ocorreu no pentecostes ocorrerá novamente em nossos dias. O que temos feito diante dessa promessa? Será que temos nos esforçado em imaginar como será isso e experimentado pouco a realidade da unção do Espírito? Será que como o padre da matéria acima temos nos esforçado em tornar visualmente real o que aconteceu naquele dia, quando deveriamos experimentar verdadeiramente o que os discípulos experimentaram? Não precisamos criar representações do que foi o pentecostes. Precisamos, hoje, experimentá-lo verdadeiramente. “Foi pela confissão e pelo abandono do pecado, por meio de fervorosa oração e da entrega pessoal a Deus, que os primeiros discípulos se prepararam para o derramamento do Espírito Santo no dia de Pentecostes. O mesmo trabalho, só que em grau mais elevado, deve ser feito agora. Então o agente humano apenas teve de pedir a bênção e esperar que o Senhor aperfeiçoasse a obra a seu respeito. Foi Deus quem começou a obra, e Ele terminará Sua obra, tornando o homem completo em Jesus Cristo. Mas não se deve negligenciar a graça representada pela chuva temporã. Somente os que estiverem vivendo de acordo com a luz que têm recebido poderão receber maior luz. A não ser que nos estejamos desenvolvendo diariamente na exemplificação das ativas virtudes cristãs, não reconheceremos as manifestações do Espírito Santo na chuva serôdia.” Review and Herald.

(Mulher Adventista)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...