Deus pede demais?


Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. 1 João 2:15

Vemos beleza, amabilidade e glória em Jesus. Contemplamos nEle atrativos inigualáveis. Ele era a Majestade do Céu. Todo o Céu estava repleto de Seu esplendor. Anjos se curvavam em adoração diante dEle e prontamente obedeciam às Suas ordens. Nosso Salvador abriu mão de tudo. Abdicou de Sua glória, majestade e esplendor, e desceu à Terra a fim de morrer por uma raça de rebeldes, transgressores dos mandamentos de Seu Pai. Cristo condescendeu em humilhar-Se para que pudesse salvar a raça caída; bebeu do cálice do sofrimento e, em seu lugar, nos ofereceu o cálice da bênção. Sim, aquele cálice foi esvaziado por nós; e mesmo cientes de tudo isso, muitos escolhem permanecer no pecado e na insensatez; e Jesus ainda assim os convida. Ele diz: “Quem tem sede, venha; e quem quiser, receba de graça a água da vida” (Ap 22:17). [...]

As verdades da Palavra de Deus devem ser aplicadas a nós, e nós devemos nos apoderar delas. Se assim o fizermos, elas exercerão uma influência santificadora em nossa vida; elas nos moldarão para que possamos nos preparar para o reino da glória; para que no momento em que a porta da graça se fechar, possamos ver o Rei em Sua formosura e estar na presença de Deus para sempre. [...]

Deus requer a força do ser inteiro. Requer de nós a separação do mundo e das coisas do mundo. “Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele” (1Jo 2:15). De nós é exigida a separação do amor ao mundo, e o que recebemos em troca? “Eu serei para vós Pai” (2Co 6:18). É necessário se separar dos amigos em suas afeições? A verdade exige que você permaneça sozinho em sua posição a fim de servir a Deus, porque outros ao seu redor não estão dispostos a se submeter aos reclamos de Cristo sobre eles? A verdade exige que você se separe deles em seus sentimentos? Sim; e essa é a cruz que você deve levar, o que faz com que muitos digam: “Não consigo me submeter às reivindicações da verdade.” Mas Cristo diz: “Quem ama seu pai ou sua mãe [ou irmão, ou irmã] mais do que a Mim não é digno de Mim” (
Mt 10:37). Quem quiser ser Meu discípulo, “tome a sua cruz e siga-Me” (Mc 8:34). Eis aqui a cruz da renúncia e do sacrifício: separar-se em suas afeições daqueles que não se submeterão às reivindicações da verdade. É esse um sacrifício grande demais a ser feito por Aquele que sacrificou tudo por você? (Review and Herald, 19 de abril de 1870).


-> Texto: Ellen G. White, do devocional 2013 “Perto do Céu”, da Casa Publicadora Brasileira

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...