Atoleiro oculto

            Clame a Mim no dia da angústia; Eu o livrarei, e você Me honrará. Salmo 50:15, NVI

Estávamos num acampamento de férias no Parque Estadual Richard B. Russell, ao norte da Geórgia, quando decidimos fazer uma caminhada por uma trilha no meio do bosque. Andamos alguns quilômetros e, por fim, saímos junto a um lago. Tomamos a trilha que serpenteava à esquerda e acompanhava o lago. Continuamos caminhando até chegar a uma pequena praia, e descansamos por algum tempo.

Quando olhamos o relógio, nos surpreendemos porque a tarde havia passado tão rapidamente, e começamos a voltar ao acampamento. Decidimos tomar o que nos pareceu um atalho ao longo da margem do rio, para podermos estar de volta antes de escurecer. Meu neto Luke ia na frente. Tudo foi bem, até que ele chegou a um lugar coberto com capim alto. De repente, nós o ouvimos gritar. Ele havia caído num atoleiro e estava afundado até a cintura, num lodo espesso. Meu esposo correu à minha frente para ajudar Luke, mas, quando tentou tirá-lo de lá, caiu também. Quando os alcancei e percebi o que acontecera, estendi o braço na direção deles, mas o solo era macio demais, e retrocedi.

Meu esposo conseguiu agarrar uma raiz de árvore. Mandou que Luke se agarrasse ao seu cinto e ficasse firme. Enquanto tentavam sair, viram que o lodo espesso não queria soltá-los. Foi uma luta e tanto, mas, por fim, ficaram livres. Estavam cobertos de barro, da cabeça aos pés, e decidimos voltar para o lago, onde a terra era firme, a fim de que pudessem se lavar. Quando chegamos de volta ao acampamento, estava escurecendo, mas foi grande a nossa alegria por estarmos em “casa”.

A vida é cheia de atoleiros escondidos, armadilhas de Satanás para nos apanhar. Algumas são físicas e algumas são espirituais. Pode ser uma situação em que alguém esteja espalhando mentiras a nosso respeito. Em todas essas situações, é difícil livrar-nos por nós mesmos, e é difícil saber o que fazer. É importante permanecer alerta, especialmente nesta época em que estamos tão perto da vinda de Jesus. Quando nos vemos num atoleiro, seja espiritual, seja físico, podemos sempre clamar ao Senhor por socorro. Ele nos ajudará a encontrar uma solução ou saída. Se nosso atoleiro escondido é causado por pessoas, lembremo-nos de orar por elas e por sua salvação, bem como pelo nosso livramento.

Célia Mejia
Cruz
          Fonte: Meditação da Mulher
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...