Chuma e Susi


Recordando-nos […] da abnegação do vosso amor. 1 Tessalonicenses 1:3

Milhões de visitantes da Abadia de Westminster, em Londres, já viram a lápide simples em homenagem a Davi Livingstone, o grande missionário na África. Poucos, entretanto, sabem da surpreendente amizade entre o famoso missionário e dois de seus auxiliares africanos, Chuma e Susi.

Às 4 horas da manhã do dia 1º de maio de 1773, Chuma e Susi, com outros quatro africanos, entraram na pequena choupana de capim, em Ilala, para ver como estava seu amigo. Encontraram-no ajoelhado ao lado da cama, com a cabeça enterrada no travesseiro, morto.


Os dois notáveis amigos de Livingstone decidiram levar seus restos para Londres, a fim de serem sepultados no país natal, a mais de nove mil quilômetros de distância. Essa parecia uma tarefa quase impossível, mas era tão grande o seu amor por aquele homem que havia dado a própria vida para contar-lhes a história de Jesus que resolveram tentar.

Retiraram o coração e outros órgãos internos de Livingstone, enterrando-os no solo africano que ele amava. Encheram-lhe o corpo com sal e aguardente, deixando-o ao sol por duas semanas, até ficar seco como uma múmia.

Envolveram os restos embalsamados em casca de tronco de árvore e costuraram-na como se fosse uma sacola de lona. Colocando hastes no precioso fardo, Chuma e Susi ergueram-no aos ombros e começaram a caminhada de 2.400 quilômetros até o oceano. A jornada levou dez meses e conduziu-os através de rios caudalosos, desertos sem trilhas, calor tórrido e tempestades tropicais. Enfrentaram o terror de animais selvagens, tribos hostis e febres dos trópicos. Suportaram tudo por amor ao homem que havia dado sua vida por eles e seu povo.

No dia 12 de março de 1874, os dois intrépidos amigos de Livingstone entregaram o corpo dele, seus diários, instrumentos musicais e objetos de uso pessoal ao cônsul britânico.

“Impressionante!” exclamava o povo. “Como pode ser que pessoas tão simples tenham praticado um ato de amor tão extraordinário!”

Susi e Chuma acompanharam os restos de Livingstone até a Inglaterra, onde lhes foram dados lugares de honra nos funerais do amigo, um mês mais tarde – 18 de abril de 1874.


Escolhendo Amigos

A amizade de Susi, Chuma e Livingstone é um exemplo do surpreendente amor que pode existir entre pessoas de diferentes etnias e culturas.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...