A Visão de Jacó

Quão temível é este lugar! É a casa de Deus, a porta dos Céus. Gênesis 28:17

Jacó não era perfeito no caráter. [...] A Inspiração registra fielmente as faltas de homens bons, daqueles que se distinguiram pelo favor de Deus. Efetivamente, suas faltas são apresentadas de modo mais completo do que as virtudes. [...] Eles foram assaltados por tentações e, muitas vezes, vencidos por elas. Porém, estavam dispostos a aprender na escola de Cristo. Se tais personagens fossem apresentados sem falta alguma diante de nós, iríamos nos sentir desencorajados em nossos esforços para alcançar a justiça. [...] Isso mostra que Deus de nenhuma maneira terá por inocente o culpado. Ele vê o pecado nos seus mais favorecidos e lhes aplica correções mais estritamente até do que naqueles que têm menos luz e responsabilidade. No entanto, em contraste com os pecados e erros da humanidade, é-nos apresentado um caráter perfeito – aquele do Filho de Deus, que revestiu Sua divindade com a humanidade e andou como homem entre os filhos dos homens. [...]


Jacó obteve, pela fraude, a bênção reservada a seu irmão. Deus lhe havia prometido a primogenitura, e a promessa iria se cumprir a seu tempo, estivesse ele disposto a esperar. Entretanto, assim como muitos que hoje professam ser filhos de Deus, ele não teve fé suficiente e pensou que poderia por si mesmo fazer alguma coisa para que isso acontecesse. [...]

Ao prosseguir sozinho em seu caminho, ele se sentia imensamente abatido e desanimado. [...] Mas Deus não abandonou Jacó. Sua misericórdia ainda se estendia a Seu servo errante e destituído de confiança, embora o Senhor permitisse que lhe sobreviessem as aflições até que pudesse aprender a lição da paciente submissão. O Senhor, com compaixão, revelou precisamente aquilo de que Jacó necessitava: um Salvador. [...]

Cansado da jornada, o viajante se deitou no chão, tendo uma pedra como travesseiro. Enquanto ele dormia, o Senhor lhe concedeu uma visão. Jacó viu uma escada brilhante e resplendente, cuja base repousava na Terra, enquanto o topo alcançava o Céu. Anjos subiam e desciam por essa escada. Por sobre ela, estava o Senhor da glória, que Se dirigiu a Jacó com palavras de maravilhoso encorajamento, assegurando que ele estaria sob a proteção divina enquanto vivesse longe de casa, e a terra em que estava deitado como um exilado e fugitivo foi prometida a ele e à sua posteridade (Signs of the Times, 31 de julho de 1884).

-> Texto: Ellen G. White, do devocional 2013 “Perto do Céu”, da Casa Publicadora Brasileira
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...