Linguagem universal


Porque a mensagem que ouvistes desde o princípio é esta: que nos amemos uns aos outros. 1 João 3:11

Minhas filhas gêmeas de 20 anos e eu passamos as férias no México, em agosto de 2006, com um dos meus irmãos e sua família. Foi a primeira vez que tiramos férias com tudo incluído, e foi ótimo. Fiquei admirada diante do número de pessoas que lá se encontravam naquela época do ano, considerando que não era inverno em nossa terra. Pessoas do Canadá, Estados Unidos, Inglaterra, Itália e outros países aproveitavam o tempo quente e o ambiente tropical.

Um dia, enquanto estávamos tomando banho de sol na praia, não pude deixar de notar como somos diferentes, mas também semelhantes. Meus ouvidos captavam diversos sotaques. Gosto de ouvi-los; são música aos meus ouvidos. Uma palavra que usávamos diariamente era Hola (Oi). Como muitos de nós não falávamos espanhol, sentimo-nos bilíngues apenas com aquela palavrinha.

Meu passatempo preferido era observar famílias e amigos se jogando na piscina e nadando no oceano, e crianças correndo, rindo e fazendo novas amizades. Comecei a ver que há uma língua universal que todos falamos: a língua do amor. Ela permeava o ar. Não havia senso de urgência, mas uma sensação geral de descontração, diversão e alegria. Os estranhos eram amistosos e corteses uns com os outros. Todos pareciam felizes e se davam bem. Não havia brigas de trânsito nem tiroteios. Só paz e tranquilidade.

Foi lindo ver pais passando tempo nobre com os filhos, comendo e brincando juntos. Havia dez pessoas em nosso grupo, cinco adultos e cinco crianças. Aproveitei a oportunidade para partilhar trechinhos de textos que mostravam o amor de Jesus para com elas. Foi um privilégio fazer o culto matutino com aqueles que, tradicionalmente, não fazem o culto. Dei às crianças bilhetinhos de Jesus com um texto que lhes mostrava, diariamente, como Deus é grande. Assim como o apóstolo Paulo, não me envergonhei do evangelho.

A Bíblia diz que “Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito, para que todo o que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3:16). Que sacrifício abnegado, incondicional, entregar um ente querido inocente para sofrer o castigo por nós. Ele tomou nosso lugar e recebeu o que merecíamos. Como é poderoso o Deus a quem servimos!

(Sharon Long Brown in Meditação da Mulher)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...