Persona Non Grata


Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo, por meio de quem obtivemos acesso pela fé a esta graça na qual agora estamos firmes. Romanos 5:1, 2

A expressão persona non grata literalmente significa “pessoa não bem-vinda” e é utilizada para indicar que alguém não é bem aceito ou desejável. Conheço muito bem essa expressão por causa de uma experiência constrangedora que tive há alguns anos.

A Casa Publicadora Brasileira, em Tatuí, SP, estava comemorando 100 anos de existência. Fui convidado, com outras pessoas, para participar das festividades e para pregar na igreja do Centro Universitário Adventista de São Paulo, campus São Paulo. Na noite de quinta-feira da semana de comemoração, me encontrei com meus colegas da sede mundial da igreja a caminho do Aeroporto Nacional Reagan, em Washington, para embarcarmos num
voo para o Brasil.

Durante o
check-in para o voo fiquei incomodado com a demora do atendente em checar meus documentos. Ele não parava de olhar as informações em meu passaporte, virava continuamente as páginas para lá e para cá. Então, disse: – Sr. Johnsson, não consigo encontrar em seu passaporte o visto de entrada para o Brasil.

Levei um susto. Visto? De todos os preparativos para a viagem esse foi o único detalhe do qual esqueci completamente. Perguntei: – Posso conseguir o visto depois que chegar em São Paulo?

– Não. O governo brasileiro não permite esse procedimento. Se deixarmos o senhor embarcar, a alfândega brasileira impedirá seu acesso ao país.

Minha cabeça parecia girar.

– Então talvez possa embarcar num
voo para Buenos Aires, conseguir o visto lá e pegar um voo para o Brasil. Por favor, verifique se isso é possível.

Os dedos do atendente pareciam voar sobre o teclado.

– Sinto muito, mas todos os
voos para Buenos Aires estão lotados. Sua única chance é ir à embaixada brasileira em Washington amanhã e pedir o visto.

Esse atraso faria com que eu chegasse tarde demais para a maior parte das celebrações e tarde demais para honrar o compromisso de pregar. Desapontado e sentindo-me um tolo, me despedi dos meus colegas, chamei um táxi, voltei para casa e mandei um e-mail pedindo desculpas pela minha falha.

Graças a Deus, tenho um visto válido em meu passaporte celestial! Por meio de Jesus, tenho acesso à graça. Posso entrar! Sou bem-vindo!

(Meditações Diárias / Rede Maranatha)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...